Prever o futuro está longe de ser uma ciência exata, mas resolvemos fazer esta “brincadeira” aqui no AllowMe nos últimos dias de 2020 e perguntamos para alguns dos especialistas do nosso time o que eles acreditam ser as principais tendências no ecossistema de prevenção a fraudes digitais para 2021. Ouvimos 7 integrantes de nossa equipe, das mais variadas áreas, e listamos a seguir o que cada um deles nos falou sobre previsões da fraude para o ano que se inicia.

Os convidados para participarem deste post são das mais diversas áreas do AllowMe: tecnologia, prevenção à fraude, vendas e marketing. E, apesar dos diferentes backgrounds, muitos termos foram consenso para estes especialistas: comportamento de usuário, inteligência artificial e dispositivos (mobiles ou desktop) foram temas recorrentes, e certamente serão chave para o mercado garantir operações digitais mais seguras e práticas.

Veja, a seguir, as 7 “previsões” da fraude para os especialistas do AllowMe:

Letícia Lapenda, cientista de dados

A pandemia trouxe muita visibilidade ao mundo on-line. O e-commerce, por exemplo, apresentou um crescimento significativo. Infelizmente, o mundo do crime cibernético cresce junto com o crescimento da experiência digital.

Em 2021, e nos anos que se seguem, é esperado que a presença virtual permaneça forte e em ascensão, tornando cada vez mais fundamental o investimento em proteção contra crimes cibernéticos e fraudadores.

No mundo pós-pandemia, será ainda mais importante ter dados qualificados sobre transações virtuais, possibilitando o uso da inteligência artificial, ferramenta que se torna extremamente relevante para a proteção de negócios e pessoas.”

Veja o Linkedin da Letícia

Rachel Fraga, account manager

Cada dia mais, precisamos criar e combinar diferentes senhas, dados, códigos de acesso e perguntas de segurança em cada movimentação digital que fazemos – e ainda assim os vazamentos e fraudes vêm crescendo rapidamente.

O mercado de prevenção à fraude precisa olhar cada vez mais para o comportamento e o dispositivo do usuário: eles dizem muito mais sobre quem é a pessoa do outro lado da tela do que uma senha de 4 dígitos.

Boneco apertando uma tecla no computador

Veja o Linkedin da Rachel

Fernando Guariento, head de professional services

Um dos desafios será incluir dispositivo e comportamento como partes fundamentais das análises.

Devido ao aumento substancial de vazamentos de dados (e todas as consequências disto) que acontecem e ainda estão por acontecer, validações estáticas como dados pessoais e e-mail estão perdendo cada vez mais força.

Veja o Linkedin do Fernando

Lívia Soares, diretora de revenue

Seguindo a esteira de digitalização de tantos negócios, o Múltiplo Fator de Autenticação (MFA) será um aliado ainda mais importante de empresas e clientes nos mais variados players (contas digitais, fintechs, sites de e-commerce, apps etc).

Combinado a ótima análise contextual de comportamento do dispositivo, o MFA não só melhora a UX como reforça a sensação de segurança e confiança do usuário – além, é claro, de dificultar o acesso para fraudadores.

Veja o Linkedin da Lívia

Ranier Aquino, analista de sistemas da informação

A vida é dinâmica e com isso as análises e validações precisam acompanhar esse dinamismo. Com os diversos cenários de vazamentos de dados que acompanhamos durante todo 2020, em 2021 veremos cada vez mais a necessidade de analisar os devices, entender o comportamento dos usuários com o auxílio de Inteligência Artificial.

Veja o Linkedin do Ranier

Bruno Pacheco, Account Manager

E-commerces e marketplaces foram grandes aliados do brasileiro ao longo do ano que passou. Em 2021 o setor continuará crescendo, e promover um acesso seguro e sem prejudicar a experiência do usuário será um fator importante e um grande diferencial competitivo para o sucesso das empresas neste novo ciclo.

cliente feliz faz sinal de positivo

Veja o Linkedin do Bruno

Felipe Held, Head de Marketing

A fraude continuará sendo uma ameaça para os mais diversos players digitais, e ela seguirá evoluindo dia após dia – à medida que a transformação digital segue acontecendo de maneira tão acelerada. Mas este é um problema que deixa de ser tão assustador quando pensamos que o Brasil é um dos mercados mais maduros e preparados para prevenir, mitigar e combater golpes cibernéticos.

Temos ótimas tecnologias e excelentes profissionais contra a fraude, e todos estão alinhados à missão de garantir uma jornada digital segura e agradável para empresas e usuários finais.

Veja o Linekdin do Felipe

Fazer previsões é legal, mas agir é muito mais importante

Como dissemos lá em cima, no começo do artigo, este é apenas um exercício que fizemos com o time do AllowMe. Claro que estas previsões da fraude feitas por nossos especialistas indicam bastante coisa para quem atua no mercado de prevenção, mas, mais do que prever o futuro, agir no presente é fundamental.

O AllowMe é uma ferramenta de prevenção a fraudes e de gerenciamento de identidades digitais. Nascida dentro da Tempest, a maior empresa de cybersegurança do Brasil, respiramos segurança da informação e, em 2020, ajudamos grandes players, dos mais variados segmentos, a oferecerem uma jornada digital segura a seus clientes – melhorando usabilidade, taxas de aprovação e reduzindo perdas com golpes on-line.

Se você ainda não é cliente AllowMe, nosso time comercial está pronto para te atender. Entre em contato conosco agora mesmo, é só preencher este formulário!

Artigo escrito por Felipe Held
Felipe Held é jornalista vidrado por esportes que já viveu o sonho de trabalhar em redações esportivas e entrevistar seus maiores ídolos, mas preferiu fazer esportes em vez de cobri-los. Desde 2015 divide o tempo livre em atuar com marketing no mercado de prevenção à fraude e pagamentos digitais, correr corridas de rua e maratonas, assistir a seriados e estudar a origens de piadas de Chaves, ouvir boas músicas e podcasts e cuidar de plantas. Também criou e apresentou as edições de 2019 e 2020 do Fraud Day e já palestrou em outros eventos do setor.