Entenda como o AllowMe pode ajudar o seu negócio

A 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), revelou que hoje em dia no Brasil existe um total de 230 milhões de smartphones em uso – um aumento de 10 milhões em relação a 2018. Somados a estes, foram identificados ainda mais 180 milhões de outros dispositivos, entre computadores, tablets e notebooks

Neste cenário de crescente transformação digital, observamos que as pessoas estão cada dia mais conectadas. Com um smartphone já é possível abrir uma conta em um banco, solicitar um transporte ou refeição, reservar hotéis, comprar passagens aéreas, fazer compras, realizar transações financeiras como depósitos, pagamentos e transferências e até iniciar relacionamentos, apenas para nomear algumas das  opções com comodidade e praticidade.

É válido lembrar também que durante estas transações, informações importantes são fornecidas como endereços (de e-mail e, em alguns casos, residenciais ou comerciais), números de telefone, CPF, RG e cartões de crédito. A combinação destes fatores (aumento no número de dispositivos, crescimento no número de transações online que envolvem o fornecimento de informações pessoais) cria terreno para o surgimento de novos perigos e ameaças online, assim como o risco de fraudes, vazamento de dados e o crescimento do cibercrime.

Uma forma de proteger os negócios e a jornada de cada cliente é investindo em ferramentas de certificação de identidade. Elas são fortes aliadas sempre que um usuário precisa fornecer seus dados para realizar uma transação, colaborando na  redução do número de tentativas de fraude e roubo de credenciais, aumentando a segurança dos dados fornecidos, favorecendo assim tanto as empresas quanto o usuário final. 

Confira a seguir cinco motivos pelos quais é importante se ter um mecanismo de proteção e certificação de identidade:

  1. Proteger a imagem da empresa: Os prejuízos para uma organização que foi vítima de algum tipo de ciberataque vai muito além do financeiro porque afetam  diretamente o comportamento do consumidor. A perda de credibilidade da marca e os danos à imagem são reais, uma vez que clientes tendem a não consumir serviços de empresas que tem seu nome envolvido em atividades ilícitas – de acordo com um estudo divulgado pela KPGM, 19% dos consumidores afirmam que jamais comprariam novamente de um lugar que já tenha sido vítima de um vazamento e 33% dizem que fariam uma pausa nas compras por um período prolongado;

  2. Reduzir perdas financeira com chargeback: Chargebacks são um dos maiores vilões do comércio online. Eles acontecem quando um cliente não reconhece aquela compra que foi realizada em seu nome e solicita o estorno da transação. Este prejuízo, no entanto, sai do bolso das empresas, e não dos emissores dos  cartões de crédito;

  3. Evitar o vazamento de dados e informações: A chegada da LGPD em 2020, trará novas exigências legais para que empresas evitem vazamentos de dados. A segurança dos dados armazenados deve estar no topo da lista de prioridades de investimento;

  4. Mais autonomia para seus clientes: Uma vez que o seu canal está mais protegido, você pode sentir mais confiante para dar ao seu usuário mais autonomia. Por exemplo: “tenho um banco e meu cliente trocou de dispositivo móvel, como eu sei se ele é ele sem precisar que ele venha até a agência para cadastrar o novo celular?” Ferramentas de proteção de identidade permitem reconhecer o seu usuário nesta e em outras situações, fazendo com que ele tenha mais autonomia dentro da plataforma na hora de fornecer dados;

  5. Viabilização de negócios: Este tipo de ferramenta contribui para que as empresas encontrem um balanço entre não ser tão permissivo (aprovando todos os cadastros, todas as compras e transações sem uma validação mais assertiva ou mal configurada, por exemplo) nem ser tão restritivo (com tantas opções de confirmação que possam acabar bloqueando a maioria das contas).  

Entre em contato com a equipe Tempest e conheça o AllowMe, que além de ajudar a identificar possíveis zonas de risco, protege a jornada digital do consumidor sem atrapalhar a experiência nem a usabilidade, atuando como uma das plataformas de proteção e certificação de identidade mais completas do mercado.