E-commerce: como a prevenção à fraude está se tornando estratégica para o setor

Altas taxas de crescimento trazem a necessidade de maiores investimentos na proteção dos dados de um crescente número de consumidores É crescente no Brasil o número de negócios que levam suas operações para o universo digital. As vendas online têm tomado grandes proporções e a quantidade de sites e aplicativos só aumenta. Os números comprovam: o comércio eletrônico no país teve um crescimento de 12% só no primeiro semestre de 2019, com um faturamento de R$ 26,4 bilhões, segundo a 40ª edição do levantamento Webshoppers da Ebit | Nilsen. Já o estudo Perfil do E-Commerce Brasileiro, feito pelo PayPal e BigData Corp, mostra que o número de lojas online aumentou em 37,59%, chegando a bater a marca de 930 mil sites dedicados apenas ao comércio eletrônico. A tendência, por sinal, é de que este segmento continue crescendo. Muitas pessoas ainda estão conhecendo o universo digital e muitos negócios ainda não migraram para plataformas online.   Estes números mostram que o consumidor está cada dia mais disposto a trocar as compras no ambiente físico por compras digitais. Os atrativos oferecidos pelo e-commerce são muitos: praticidade, conforto e comodidade ao não sair de casa, flexibilidade de horários para compra, facilidade na comparação de preços. Tudo isso torna o cenário favorável com boas oportunidades para quem quer vender, e consequentemente, para quem quer comprar.   Por isso a prevenção de fraudes e a proteção de dados vem se tornando uma área estratégica para o e-commerce, porque o prejuízo quando acontece, acontece dos dois lados: para lojistas e para consumidores finais. Entre as ferramentas disponíveis atualmente para tornar ambientes de e-commerce mais seguros estão os certificados digitais, a hospedagem em provedores que sigam boas práticas de segurança na web, e os chamados antifraudes, que são ferramentas para análise e proteção da transação e de identidade digital. Elas contribuem, entre outras coisas, para verificar se quem está tentando realizar uma determinada operação é mesmo quem se diz ser, identificar quando um mesmo dispositivo faz vários logins para efetuar transações diferentes ou tenta criar várias contas, ou quando um mesmo comprador faz pedidos diferentes mas envia para endereços distintos.  A implantação de uma ferramenta antifraude no segmento do varejo e e-commerce traz uma série de benefícios. Além de reduzir as chances de que aconteça uma fraude de fato, reduzem o prejuízo com chargeback, evitam o cancelamento de operações legítimas e, em última instância, protegem a credibilidade da marca, atuando no transacional e sempre que um usuário precisa usar suas credenciais ou fornecer informações pessoais.  AllowMe atuando no segmento de varejo e e-commerce Uma das soluções de proteção do cliente em sua jornada digital mais completas do mercado é o AllowMe, produzido pela Tempest. A ferramenta ajuda a validar a identidade dos usuários através de features que comprovam digitalmente de maneira instantânea, uma vez que as respostas vem em menos de 0,5 segundos, diminuindo assim o atrito na usabilidade das aplicações. Com o AllowMe é possível validar a reputação dos dispositivos, comprovar  e-mail, CPF, número de telefone e endereço, além de utilizar o mecanismo de segundo fator de autenticação, que contribuem para compras mais seguras. Para saber como a ferramenta se encaixa no seu negócio, entre em contato com o time Tempest.